Primeira rota acessível no Centro de Florianópolis ficará pronta até 17 de dezembro

30/11/2017

A obra, no valor de R$ 90,4 mil, começou no dia 25 de setembro e tem prazo de 90 dias para ser concluída 

A primeira rota acessível do Centro de Florianópolis, que liga o Ticen (Terminal de Integração do Centro) ao Terminal Rodoviário Rita Maria, deve ser entregue até 17 de dezembro, segundo o secretário de Infraestrutura da Capital, Roberto Garcia.

A obra, no valor de R$ 90,4 mil, começou no dia 25 de setembro e tem prazo de 90 dias para ser concluída. O Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis) já estuda um segundo trecho no programa Rotas Acessíveis entre o Ticen e o prédio da prefeitura, na esquina das ruas Arcipreste Paiva e Tenente Silveira.

Morador do bairro Brejaru, em Palhoça, o funcionário público aposentado Paulo Roberto Oliveira Silva, 56 anos, faz o trajeto entre o Ticen e a rodoviária pelo menos duas vezes por semana. Vítima de poliomielite nos primeiros anos de vida, Paulo Roberto teve paralisia infantil. "Dependo das muletas há mais de 50 anos e a calçada deste trecho ficou muito boa, porque era irregular. As rampas também estão largas e não muito inclinadas, como eram antigamente. O único problema é o tempo do semáforo para pedestres, porque não consigo atravessar em 15 segundos", contou.

O programa Rotas Acessíveis consiste no alargamento das calçadas, repavimentação, adequação das rampas nas travessias de pedestres e sinalização tátil e visual de piso. Conforme a arquiteta e urbanista do Ipuf responsável pelo projeto, Ingrid Etges Zandomeneco, um segundo trecho já começou a ser planejado.

"Estamos estudando com a Superintendência da Pessoa com Deficiência e com a Infraestrutura para implantarmos um segundo trecho passando pelo Centro Histórico. O objetivo não é realizar apenas algumas rotas, mas transformar todas as calçadas com as novas normas de acessibilidade. Durante uma vistoria na obra em execução, os representantes da Acic [Associação Catarinense para Integração do Cego] e da Aflodef [Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos] chamaram a atenção para o tempo do semáforo, que deve ser corrigido com a licitação em andamento", informou.