Viaturas não circulam em SC por falta de abastecimento

21/11/2017

#SEGURANÇA

VIATURAS DA POLÍCIA MILITAR DE PELO MENOS TRÊS REGIÕES DE SC ESTÃO COM  O DESLOCAMENTO LIMITADO POR CONTA DA FALTA DE DINHEIRO PARA O ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS. 

A situação foi levantada pela Associação de Praças do Estado de Santa Catarina (Aprasc) e confirmada com fontes de batalhões do Sul, Oeste e Planalto Norte do Estado. Em Dionísio Cerqueira, no Oeste, a permissão é para cada viatura rodar no máximo 50 quilômetros a cada turno de 12 horas. No Sul,em cidades como Araranguá, Ermo, Tubarão e Criciúma, e no Planalto Norte, em Mafra e Canoinhas, há orientações para que só sejam feitos deslocamentos para atendimento de ocorrências graves. Com isso, rondas preventivas estão suspensas. Situação semelhante ocorreu semana passada em Palhoça e São José, na Grande Florianópolis. Conforme a Aprasc, nessas cidades o problema já foi resolvido. Segundo o presidente da associação, subtenente Edson Fortuna, em novembro deveriam ter sido repassados pela Fazenda R$1,5 milhão para o abastecimento, e só R$ 400 mil desse valor teriam chegado aos batalhões.

- Isso tem sido comum no Estado inteiro. Não pode restringir o combustível enquanto a criminalidade aumenta. Rodar 50 quilômetros (limite que tem sido permitido em Dionísio Cerqueira) não é nada para um policiamento -diz Fortuna. A Secretaria da Fazenda garantiu que não há atraso nos repasses à Secretaria de Segurança Pública (SSP), que seria a responsável por gerir os recursos. Procurada, a SSP informou via assessoria que apenas a PM se manifestaria. A Fazenda também informou,por nota, que após reunião com o governador Raimundo Colombo (PSD) ontem, o secretário Renato Lacerda definiu a liberação ainda nesta semana de crédito suplementar de R$ 280 mil para a SSP com fins de aquisição de combustível. "Trata-se de uma quota extra enquanto é feita a projeção da necessidade de recursos até o fim do ano", diz o texto. A PM, também por nota, reforçou as informações da Fazenda e a previsão de normalizar os abastecimentos a partir da liberação destes recursos.

Fonte: Diário Catarinense 21/11/2017.